Novo FIES elevará preço de mensalidades

Novo FIES elevará preço de mensalidades

Segundo especialistas, o Novo FIES que irá vigorar a partir do primeiro semestre de 2018 poderá restringir ainda mais a participação das universidades privadas e o acesso do aluno. Bancos privados e universidades privadas terão que dividir o risco da inadimplência, gerando maior rigor na concessão do crédito antes da matrícula.

Para que as universidades possam cobrir os riscos do financiamento, as instituições privadas de ensino superior poderão elevar o valor das mensalidades a partir do primeiro semestre de 2018, impactando sobre os contratos antigos do FIES.

A partir de 2018, o MEC lançará três modalidades (FIES 1, 2 e 3) e incentivará a migração dos contratos antigos para as novas regras do FIES 2018. Leia: http://vestibular.agendapesquisa.com.br/2017/07/14/mec-estuda-migracao-de-todos-os-contratos-para-o-novo-fies/

Entenda mais a seguir

— Leia mais depois da publicidade —



Segundo a direção da ABMES (Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior), o modelo do Novo FIES vai gerar mais barreiras para estudantes e universidades num cenário de encarecimento dos cursos e sobras de vagas. Segundo dados oficiais do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), a partir de 2015, boa parte das vagas previstas não foram preenchidas. No segundo semestre de 2015, das 61,5 mil ofertadas, somente 44 mil contratos foram firmados. No ano de 2016, faltaram 122 mil financiamentos para completar as vagas.

A intenção de lançar o Novo FIES é conceder mais sustentabilidade ao FIES e diminuir a inadimplência do FIES que, atualmente, atinge 46% dos contratos firmados. Segundo o MEC, com o Novo FIES o governo federal economizará 300 milhões de reais ao ano, em 10 anos o Tesouro Nacional economizará de R$ 6 bilhões a R$ 7 bilhões.

Segundo a Aspa (Associação de Pais e Alunos das Instituições de Ensino do Distrito Federal) as medidas do Novo FIES ajudarão somente o Governo Federal, prejudicando universidades privadas e estudantes, pois todas as taxas bancárias e o fundo garantidor serão pagos pelos alunos. A partir de 2018, as universidades privadas terão que pagar uma taxa interna para aderir ao FIES, tal valor poderá ser repassado para o aluno beneficiado pelo financiamento.

Na última semana de julho de 2017, a redação do nosso portal Agenda Pesquisa / Agenda do Vestibular entrou em contato com o MEC e o mesmo afirmou que a medida provisória que pretende formalizar o Novo FIES deve ser aprovada a partir do mês de agosto de 2017. O Edital do Novo FIES deverá ser divulgado a partir do mês de dezembro de 2017.

Leia mais:

Novo FIES pode acabar com o FIES: http://vestibular.agendapesquisa.com.br/2017/07/17/novo-fies-pode-acabar-com-o-fies/

MEC estuda migração de todos os contratos para o Novo FIES: http://vestibular.agendapesquisa.com.br/2017/07/14/mec-estuda-migracao-de-todos-os-contratos-para-o-novo-fies/

FIES migrará todos os estudantes para o Novo FIES: http://vestibular.agendapesquisa.com.br/2017/07/11/fies-migrara-todos-os-estudantes-para-o-novo-fies/

Mais: http://vestibular.agendapesquisa.com.br/category/fies/

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*